Review | Super Mario Maker 2

Construindo e inovando com Super Mario

Review | Super Mario Maker 2

Em comemoração aos 30 anos da série Super Mario Bros., o mínimo que os fãs esperavam era um novo jogo icônico do bigodudo da Nintendo. Mas a celebração acabou sendo melhor que isso, pois acabamos recebendo uma das melhores ferramentas de criação em uma plataforma de videogame que já existiu. Super Mario Maker homenageia e reforça a importância dos jogos clássicos de plataforma para o que se tornaram os videogames atualmente, e uma sequência era mais do que óbvia, chegando muito mais cedo que o esperado, para a nossa alegria: Super Mario Maker 2!

Apesar de simples em sua execução, suas ferramentas podem extrapolar o limite da imaginação não só daqueles que criam fases como daqueles que tentam passá-las. Elas são divididas atualmente com tags das mais diversas, ajudando à ambos os tipos de jogadores. Em seu primeiro título, apenas havia um campo de busca via browser, sendo uma “contramão” àqueles que, além de ter um console de mesa com um controle que possuía uma tela embutida, ainda deveria ter um segundo periférico para buscar boas fases online, causando trabalho desnecessário. Já com o Switch, o processo foi totalmente otimizado, se tratando de um console com a utilização de portabilidade, e toda sua busca e categorias já estão presente no próprio game desta vez.

Super Mario reconstruindo o castelo de Mushroom Kingdom com a ajuda de Toad e Toadette. – Reprodução/Digital Trends

Mas não só de “ajustes” esta sequência é feita; por exemplo, há a expansão de mecânicas de criação e principalmente pelo seu modo multiplayer (online e offline), que permite até 4 jogadores jogando partidas dos cinco estilos de Super Mario. Nas funções online temos um modo competitivo versus, onde vence aquele que finalizar a fase primeiro, e consequentemente em menor tempo, e um modo cooperativo. Ambos os modos só podem ser jogados com pessoas aleatórias na internet. Já no modo offline, temos aquele típica experiência já vista na série New Super Mario Bros: um bom multiplayer de sofá!

Tal como LittleBigPlanet, tudo o que pode ser jogado é feito a partir do criador de fases do game, dando mais  possibilidades aos jogadores de criarem e reinventarem o que eles acham que é Super Mario Bros. Você não tem que necessariamente construir uma fase onde o Mario chegue ao final do nível, mas pode fazê-lo explorar, correr contra o tempo, procurar ou até mesmo cooperar com mais players para finalizar sua criação. Um dos exemplos mais clássicos de limites da criação é desenvolver um calculadora dentro do jogo, e Super Mario Maker já é capaz disso.

De primeira vista, Super Mario Maker 2 aparenta ser um simples port da versão de Wii U e 3DS com o acréscimo de duas ou três novas funções. Só que visto mais de perto, será possível notar que ele vai muito além disso. O jogo foi todo retrabalhado com novos cenários, funções e músicas novas, compostas pelo próprio Koji Kondo, compositor original de Super Mario. Sua resolução e FPS (frames per seconds) foram aumentadas e adaptadas para comportar a oscilação entre o modo dock (ligado à TV) e o modo portátil, assim usando melhor a principal função do console, além do divertidíssimo multiplayer acrescentado. Apesar de muitos ganhos, o game ainda possui sua dose de problemas, porém mais voltados à sua comunidade em si do que sua perfomace. Tags usadas indevidamente em certas fases para aparecerem com vantagem em mais listas de busca, partidas online com lag muito maior por usuários com internet ruim ou o excesso de fases consideradas trolls.

Pontos Positivos:

– Muito mais ferramentas no modo criação;
– Possibilidade de se jogar co-op local com amigos;
– Melhoria na ferramenta de pesquisa de fases online;
– Cinco estilos diferentes de Super Mario disponíveis no jogo.

Pontos Negativos:

– Presença de muito lag nas partidas online;
– Falta de modos online com amigos.


Siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter YouTube.