Crítica It: Capítulo 2 | A promissora continuação cresce na história e declina no terror

Filme é dirigido por Andy Muschietti, mesmo diretor do capítulo 1.

Crítica It: Capítulo 2 | A promissora continuação cresce na história e declina no terror

Em 2017 fomos surpreendidos com a adaptação de It, livro do grande escritor Stephen King, que já tinha sido adaptado anteriormente, mas desta vez traria uma nova roupagem e, diante de todo material divulgado na época, seria bastante assustador – e assim o fez – sendo dirigido por Andy Muschietti que já vinha de um outro filme de terror de sucesso – mas não tanto – Mama.

Talvez o diretor não pudesse prever o tamanho do sucesso que essa nova adaptação traria e com isso uma responsabilidade maior na sua continuação, pois esta já tinha sido planejada desde o início, como o livro de King é gigantesco, foi pensado em dividir em dois filmes, um com o Clube dos Perdedores ainda crianças, sendo esse o foco do primeiro filme, e outro com os mesmos personagens 27 anos depois, já adultos.

É ai que o filme tem início, e que início promissor, a volta do palhaço Pennywise à cidade de Derry foi feito de forma rápida mas tocante, mostrando que ele veio com muita fome, literalmente. E é o que veremos muito no decorrer do longa, um Pennywise mais presente, mais tempo em tela, principalmente pelo fato de ele estar tanto nas partes do passado com as crianças, como atualmente com os personagens adultos.

It: Capítulo 2 – Divulgação Internet

E por falar em personagens, a escolha foi sensacional, cada ator da fase adulta soube representar muito bem cada personagem que vemos no primeiro filme, até os trejeitos das crianças eles trouxeram de forma excelente, é como se It: A Coisa tivesse mesmo acontecido 27 anos atrás e sua continuação foi feita pelos mesmo atores crianças. A química entre eles é algo também de se elogiar, a cena em que eles estão no restaurante foi muito bem interpretada, muito bem filmada e uma das melhores de todo o filme. Vale ressaltar que você verá muitos efeitos especiais nesse filme, pra alguns pode ser até demais, exagerado, mas achei necessário.

Atores adultos e crianças em pôster do filme – Divulgação Internet

E falando em atuação boa, não podia deixar de mencionar o ator Bill Skarsgård que volta como o palhaço Pennywise de forma brilhante, seja contracenando com as crianças ou com os adultos, ele é o mesmo, crescendo em cada cena e com certeza não esqueceremos mais da forma como ele trouxe Pennywise para essa geração.

Mas nem tudo são flores não é mesmo? Como falei no início e no título desta crítica o filme cresceu bastante em sua história, apesar de 2h49 minutos de duração ele não se torna cansativo, mas para quem esperava se assustar muito nesse filme saiu decepcionado da sala de cinema. Talvez por esse segundo filme abordar a fase adulta do Clube dos Perdedores, e se podemos comparar com o capítulo 1 que é focado somente nas crianças, a primeira parte assusta mais, ver todo aquele horror, traumas, culpa, tudo isso envolvendo crianças traz mais tensão e medo do que quando se envolve adultos, pode ser por isso que nessa continuação, o diretor Andy decidiu ir por outro caminho e colocar sustos mais previsíveis do que aquele clima de tensão do que poderia acontecer àquele personagem. E convenhamos que filme de terror é aquele que prende, que assusta, que faz você ficar com muita tensão dentro do cinema, e nesse capítulo 2 isso diminuiu e muito, mas não estraga o filme, só o torna mais moderado, explicativo e emocionante, se tornando um suspense com uma boa história.

It: Capítulo 2 – Divulgação Internet

Enfim, depois de dois filmes, fiquei muito satisfeito como essa grande obra do mestre Stephen King foi adaptada às telonas, claro que com muitas mudanças com relação ao livro, mas que não desmereceu em nada o que King escreveu. Fiquei muito satisfeito também com a direção de Andy Muschietti, a responsabilidade de fazer um filme baseado numa obra como essa é grande e ele conseguiu fazer muito bem, cada personagem teve seu protagonismo e sua história contada, com certeza ele soube fazer de uma forma que nos apegássemos a esses personagens. E quem sabe não o veremos em outras adaptações de King, já vimos que capacidade ele tem.

Então mesmo não assustando, apesar da expectativa de todos estarem nas alturas, a história de It se encerra de forma bonita e bem feita e com certeza vamos nos lembrar dela por mais de 27 anos.

Nota: 4/5

It: Capítulo 2 está em cartaz nos cinemas.


Siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter YouTube.

Compartilhe: