A Estrada para o Ultimato | Capítulo 22 – Vingadores: Ultimato

Filme encerra com maestria a Saga do Infinito do Universo Cinematográfico Marvel

A Estrada para o Ultimato | Capítulo 22 – Vingadores: Ultimato

ATENÇÃO! O TEXTO ABAIXO CONTÉM SPOILERS DA TRAMA DE VINGADORES: ULTIMATO!

Foram onze anos de histórias, vinte e um filmes lançados e uma legião de fãs ao redor do mundo. É com essa moral que a Marvel Studios leva aos cinemas a partir dessa quinta-feira (25) seu mais novo filme Vingadores: Ultimato. É isso mesmo, ele está entre nós. O filme mais aguardado da década acaba de ganhar vida para encerrar a Saga do Infinito do Universo Cinematográfico Marvel, amarrando todas as pontas e conectando todos os filmes em um final épico. Chegamos ao destino d’A Estrada para o Ultimato.

Dirigido por Joe e Anthony Russo, o filme funciona como uma parte 2, uma sequência direta e complementar de Vingadores: Guerra Infinita. No filme de 2018, o titã Thanos consegue reunir as seis Joias do Infinito em sua manopla para cumprir sua missão de vida: exterminar metade dos seres vivos do universo. Seu objetivo é equilibrar a vida e fazer com que não faltem recursos para todos que sobreviveram. Em Guerra Infinita, apesar do esforço hercúleo dos Vingadores, Thanos estala os dedos e consegue alcançar seu objetivo.

Abalados pela perda de diversos amigos e de metade da população na Terra, eles precisam agir rápido para impedir que Thanos continue usando as joias a seu favor e tentar trazer de volta os Vingadores que se foram. É fato: eles perderam. É difícil de admitir. Ninguém gosta de ver os super-heróis perdendo. Estamos acostumados a ver os mocinhos se dando bem no final das contas. Guerra Infinita deixou um gosto amargo na boca de todos nós, mas chegou a hora de vingar aqueles que se foram. É hora do Ultimato.

Com a chegada de Homem de Ferro e Nebulosa à Terra, resgatados pela Capitã Marvel, vinte e dois dias após o estalar de dados de Thanos, os Vingadores que ainda restaram se reúnem para planejar um contra-ataque ao Titã. Nebulosa, filha de Thanos, sabia de seus planos e por isso sabe exatamente para onde ele foi, um local que ele chama de Jardim. Bruce Banner havia conseguido detectar o uso da Manopla há apenas 2 dias em um planeta não muito distante da Terra. Era a pista que eles precisavam para chegar ao vilão, agora com a ajuda da Capitã Marvel.

Ao chegarem no planeta, os Vingadores encontram um Thanos muito diferente do que eles haviam conhecido. Desta vez, ele vive uma vida simples, sem luxos e portando a Manopla do Infinito sem as joias. Após encurralarem o Titã, ele conta que não possui mais as joias porque utilizou a própria Manopla para destruí-las e impedir que seu trabalho fosse desfeito por qualquer um que seja. O processo, por se tornar extremamente perigoso, acabou deixando marcas no rosto de Thanos. Enfurecido com o sabor do fracasso, Thor não pensa duas vezes e corta a cabeça do Titã.

As esperanças pareciam haver acabado para o grupo. Cinco anos se passaram e as pessoas já começaram a se acostumar com esse novo universo, até que Scott Lang, o Homem-Formiga, finalmente consegue sair do Reino Quântico, mas para ele não haviam se passado cinco anos, mas apenas cinco horas. Ele viu no que o mundo se tornou, mas sabia que era possível utilizar a tecnologia quântica para brincar com o tempo, o levando aos Vingadores restantes, que já estavam desolados e tentando seguir suas próprias vidas.

Scott explica a ideia para Viúva Negra e Capitão América, que acham melhor levá-lo a Tony Stark. Tony, agora pai de família, se recusa a ajudar pois já está confortável com sua nova vida, porém nos dias seguintes aquilo não sai da sua cabeça e ele começa a estudar a possibilidade do desenvolvimento de uma máquina do tempo por conta própria. Enquanto isso, os Vingadores vão ao outro cientista do grupo, Bruce Banner, agora com seu lado Hulk assumido em definitivo, que aceita utilizar o túnel quântico do Homem-Formiga, desenvolvido por Hank Pym em Homem-Formiga e a Vespa, para começar os testes de viagens no tempo.

Combinando o que foi desenvolvido por Bruce e o que foi desenvolvido por Tony, que acaba aceitando colaborar com os Vingadores, eles conseguem criar uma máquina do tempo utilizando as partículas Pym como base com uma quantidade limitada de cápsulas, que permitiam apenas uma viagem de ida e uma viagem de volta. A missão era clara: conseguir ir a pontos passados no tempo em que Thanos ainda não tinha as seis Joias do Infinito, roubá-las antes dele e trazê-las para o presente, as utilizando para desfazer o que o Titã havia feito.

Os Vingadores se dividiram em grupos para tornar a missão possível: Stark, Hulk, Capitão América e Homem-Formiga ficariam responsáveis por voltar à Nova York de 2012, durante os eventos de Os Vingadores, para garantir as Joias do Espaço, do Tempo e da Mente, Thor e Rocket iriam à Asgard de 2013, no período de Thor: O Mundo Sombrio, para pegar a Joia da Realidade, e Viúva Negra, Gavião Arqueiro, Máquina de Combate e Nebulosa iriam para 2014, se dividindo entre os planetas Morag e Vormir, para conseguir colocar as mãos nas Joias do Poder e da Alma.

Essa é a missão de suas vidas, a última chance de consertar o estrago feito por Thanos e trazer o universo à normalidade. Para isso, os Vingadores teriam que abdicar de seus planos pessoais e talvez até da própria vida pela missão. Mas o destino, traiçoeiro como é, colocaria o Titã no caminho dos Vingadores novamente. Restaria saber se agora eles seriam ou não capaz de derrotá-lo. É agora ou nunca.

Com a utilização de viagens no tempo, Vingadores: Ultimato revisita seus antigos filmes e entrega sem dificuldade aos fãs um fan service nunca antes visto na história do cinema. Ao fazer isso, o espectador é colocado em uma posição externa aos acontecimentos anteriores, como se estivesse reassistindo as obras anteriores por um outro ponto de vista. Além disso, por conta do conceito de viagem no tempo utilizado no MCU ser diferente de De Volta para o Futuro e Star Trek, os personagens conseguem interagir com eventos e pessoas do passado sem alterar a linha do tempo, o que torna o fan service ainda mais agradável ao fã.

A missão de encerrar a Saga do Infinito é cumprida de maneira simples, mas extremamente épica. O retorno dos personagens, se unindo em uma mega batalha final contra Thanos em cima das ruínas do quartel-general dos Vingadores não é apenas um espetáculo visual, como também uma cena de muita emoção e simbolismo. Ali, muitos dos personagens conseguem mostrar o seu potencial máximo e dar a Thanos uma batalha muito mais complicada do que a que aconteceu em Wakanda.

A utilização do Mjolnir pelo Capitão América e a consequente vitória dos Vingadores com o estalar de dedos de Tony Stark com as seis Joias do Infinito são o ápice desse simbolismo. O Homem de Ferro, que deu início ao Universo Cinematográfico Marvel, é o responsável por no final do dia salvá-lo, levando a uma das mortes mais tristes e marcantes do cinema moderno. E para encerrar não apenas o arco de Tony, como também do Capitão, a viagem ao passado de Steve para redistribuir as Joias do Infinito e passar a vida com a mulher que ele amava, seguido de seu retorno para passar o escudo de Capitão América para Sam Wilson encerra brilhantemente o maior filme de super-heróis de todos os tempos.

A Estrada para o Ultimato se encerra por aqui. Foi uma longa e formidável jornada que tivemos nos últimos vinte e dois dias. Porém, uma estrada acaba por aqui para dar espaço a uma nova. Um novo futuro, uma nova saga, uma nova leva de filmes que a Marvel Studios está preparando para mais dez ou onze anos de histórias fantásticas. O que esperar do futuro? Doutor Estranho 2? Pantera Negra 2? A-Force? Capitão América: Sam Wilson? Ainda não sabemos. Mas seguiremos juntos nessa estrada. Até o final. Custe o que custar.