A Estrada para o Ultimato | Capítulo 20 – Homem-Formiga e a Vespa

A Estrada para o Ultimato | Capítulo 20 – Homem-Formiga e a Vespa

Depois da surpresa positiva que foi Homem-Formiga, filme solo de um personagem completamente inesperado para o Universo Cinematográfico Marvel e – convenhamos – um pouco ridículo do ponto de vista do espectador comum, a Marvel Studios não esperou muito para anunciar oficialmente uma continuação. Em outubro de 2015, apenas alguns meses após a estreia do primeiro filme, o estúdio anunciou Homem-Formiga e a Vespa com o retorno de Paul Rudd como Scott Lang/Homem-Formiga, Evangeline Lilly como Hope van Dyne/Vespa, Michael Douglas como Hank Pym e, no mês seguinte, com a confirmação da volta de Peyton Reed para a direção.

Desde o princípio, antes mesmo do anúncio da sequência, Reed estava animado com o projeto. “Havia muitas histórias para contar com esses personagens, que eu tenho uma afeição genuína e meio que um sentido de protetor”, revelou o diretor em entrevista ao Polygon. A animação também se dava pelo fato de que dessa vez Reed poderia desenvolver um filme do Homem-Formiga desde o começo, visto que em Homem-Formiga ele acabou assumindo a direção quando a produção do filme já estava em um estágio avançado, logo depois da saída do roteirista e diretor original Edgar Wright do projeto.

Peyton Reed mostrou ao que veio já a partir da concepção do filme. Como o título revela, este não seria um filme solo do Homem-Formiga, mas sim um duo, tipo de história muito comum nos quadrinhos, com a Vespa. O diretor não apenas colocou o nome da Vespa no título do filme, por si só algo já inovador para o MCU, que nunca havia tido o nome de uma personagem feminina no título de um de seus filmes, como também fez questão de que a personagem recebesse tratamento igual ao do Homem-Formiga na publicidade e merchandising do longa. “É chegada a hora”, as últimas palavras de Hope na cena pós-créditos de Homem-Formiga em que ela é apresentada ao seu uniforme de Vespa, não foram escritas à toa. Estava na hora de uma heroína do MCU ter um filme para chamar de seu, ou ao menos 50% seu.

Em prisão domiciliar há quase dois anos por ter ajudado o Capitão América a quebrar o Tratado de Sokovia em Capitão América: Guerra Civil, Scott Lang sonha com o dia em que vai poder sair de casa para começar a trabalhar e aproveitar a vida com a sua filha Cassie. Procurados pelo FBI, o cientista Hank Pym e sua filha Hope van Dyne começam a construir um túnel para o reino quântico na tentativa de resgatar Janet van Dyne, mulher de Hank e mãe de Hope, que lá ficou presa depois de usar seu uniforme de Vespa para encolher a nível subatômico, desarmar uma bomba soviética e heroicamente salvar a vida de milhares de americanos.

Alguns minutos após Hank e Hope realizarem o primeiro teste de abertura do túnel, eles recebem uma ligação de Scott, que alega ter sonhado com Janet no reino quântico. Hank e Hope sabiam que não era apenas um sonho, de alguma forma Janet estava de fato viva e criou esse elo mental com Scott quando ele foi ao reino em seu traje de Homem-Formiga. Apesar da prisão domiciliar, Hope leva Scott ao laboratório de Hank para que ele possa ajudá-los na procura por Janet. O túnel ainda não estava pronto e necessitava de algumas partes que só eram possíveis de adquirir no mercado negro.

O que o trio não esperava era que não apenas o gângster Sonny Burch, que estava vendendo peças para Hope, estava interessado na tecnologia que ela estava desenvolvendo com seu pai, como também Bill Foster, ex-companheiro de trabalho de Hank na época de SHIELD, estava interessado na energia quântica. O objetivo de Foster era impedir a morte de Ava Starr, uma jovem que foi atingida por uma explosão radioativa quando pequena e desde então vive com um corpo instável, que rapidamente está se degenerando mas que a permite desaparecer e atravessar paredes, habilidades especiais que levam Scott a posteriormente chamá-la Fantasma.

Com o FBI, que descobriu sobre a fuga de Scott, Burch, Foster e a Fantasma em sua cola, Hank Pym, a Vespa e o Homem-Formiga terão que correr contra o tempo para salvar o laboratório, resgatar Janet e impedir que os três acabem na prisão. Para isso, o trio não poupa esforços em pedir qualquer tipo de ajuda, inclusive a ajuda que não ajudou muito de Luís, o latino-americano tagarela mais querido do MCU.

Mantendo a veia cômica e o clima de heist estabelecidos no primeiro filme, Homem-Formiga e a Vespa explora pontos que acabaram sendo ofuscados por conta da ameaça de um grande vilão em Homem-Formiga. O primeiro eles é o passado de Hank Pym, criador da partícula Pym e um dos personagens mais importantes da Marvel nos quadrinhos, que jamais esqueceu sua amada Janet e nesse filme prova que é capaz de fazer de tudo para tentar trazê-la de volta. O segundo ponto é o aprofundamento da relação de Scott e Hope, mostrando através de flashbacks a parceria e o relacionamento amoroso dos dois antes de Scott quebrar o Tratado de Sokovia e consequentemente a tentativa de Lang de reconquistar a confiança de sua parceira.

Por conta do seu lançamento em julho de 2018, o filme serve como um alívio no quesito entretenimento para os fãs, que haviam assistido há poucos meses toda a destruição causada por Thanos em Vingadores: Guerra Infinita. Todo o filme se passa antes dos acontecimentos de Guerra Infinita, com exceção da cena pós-créditos, que mostra uma nova ida de Scott ao reino quântico para reter energia quântica e ajudar no tratamento de Ava e a morte de Hank, Hope e Janet devido ao estalar de dedos de Thanos, fazendo com que Scott fique preso em nível subatômico.

Amanhã, A Estrada para o Ultimato volta aos anos 90 dentro do Universo Cinematográfico Marvel para falar sobre o primeiro filme solo de uma super-heroína do MCU, Capitã Marvel.


Siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter YouTube.

Compartilhe