A Estrada para o Ultimato | Capítulo 10 – Guardiões da Galáxia

Com direção de James Gunn, filme surpreende e abre as portas do Universo Cósmico da Marvel.

A Estrada para o Ultimato | Capítulo 10 – Guardiões da Galáxia

Podemos dizer que a Marvel Studios já havia sido audaciosa em levar ao cinema um grupo de heróis como os Vingadores. Hoje em dia não parece verdade mas Os Vingadores sempre foram um time B da Marvel nos quadrinhos, ficando ofuscados na sombra dos X-Men, que era de fato o principal grupo de heróis da editora. Quando um filme dos Guardiões da Galáxia, um time C da Marvel nas HQs, foi anunciado, realmente vimos que a Marvel Studios não estava para brincadeira e estava disposta a fazer dinheiro com qualquer herói ou grupo de heróis que os produtores tivessem o desejo de colocar nas telonas.

Muito disso se deve à coragem do produtor Kevin Feige, que é o grande arquiteto por trás do Universo Cinematográfico Marvel. A primeira declaração que revelou sua intenção de produzir um filme dos Guardiões foi dada na San Diego Comic Con de 2010, quando Feige citou Guardiões da Galáxia como “um dos títulos obscuros que vêm sendo renovados de uma forma divertida nas histórias em quadrinhos”. A verdade é que o grupo de heróis esteve no radar de Feige durante todo esse tempo porque era necessário que o MCU expandisse para um lado mais cósmico.

Os filmes lançados até então estavam muito presos à tramas centradas na Terra e é difícil convencer uma audiência minimamente inteligente que todas as seis Joias do Infinito teriam conexão com o nosso planeta. Era imprescindível que o universo se expandisse para novos planetas e um novo grupo de heróis para que o arco da Saga do Infinito ganhasse corpo e verossimilhança. James Gunn foi o diretor escolhido para dar vida ao grupo formado por Peter Quill (Star-Lord), Gamora, Drax, Rocket e Groot.

O humano Peter Quill é um pirata espacial no melhor estilo Han Solo que está atrás do Orbe, um objeto muito valioso que carrega a Joia do Poder, a terceira Joia do Infinito a aparecer no Universo Cinematográfico Marvel. Ao roubar o Orbe no planeta Morag, Quill começa a ser perseguido pelos capangas de Ronan, um poderoso Kree, subordinado ao ser com a maior sede de poder no universo, Thanos. A enviada para tirar o Orbe das mãos de Quill é Gamora, filha de Thanos, que vai até Xandar, onde Peter está tentando vender o Orbe sem saber do que ele é capaz.

É em Xandar que os nossos queridos Guardiões da Galáxia passam a se conhecer. Ao roubar o Orbe de Peter, Gamora é abordada pela dupla de caçadores de recompensas Rocket Raccoon e Groot, interessados na imensa quantidade de dinheiro que a venda do Orbe pode gerar, porém no final das contas os quatro são presos e levados para a prisão. Lá, eles conhecem Drax, o Destruidor, que também se volta contra Gamora por ter tido sua família morta por Ronan e Thanos, mas o que ninguém sabe até então é que Gamora na verdade está traindo Ronan e seu próprio pai e não vai permiti-los usar os poderes do Orbe.

A ideia de Gamora é levar o objeto até o Colecionador para que ele o guarde em segurança. De acordo com o plano, os cinco fogem da prisão e seguem até Knowhere, planeta onde mora o Colecionador. Porém, Ronan já havia avisado a Thanos sobre as intenções de Gamora e chega à Knowhere a tempo de roubar o Orbe para si. Com a Joia do Poder em mãos, os Guardiões da Galáxia admitem que é uma missão impossível enfrentar Ronan novamente sem ajuda, é quando Star-Lord decide contactar Yondu, líder dos Saqueadores e considerado seu pai adotivo desde que Peter foi levado da Terra após a morte de sua mãe.

Os Guardiões e os Saqueadores se juntam à Nova Corps para derrotar Ronan em Xandar não apenas com seu poderio militar mas também, acredite, com o poder da música, em uma das cenas mais sensacionais do Universo Cinematográfico Marvel até hoje:

A música não apenas ajuda os Guardiões da Galáxia a distrair Ronan, como também é elemento essencial para mostrar o tom do filme. Um peso tão grande da trilha sonora em um filme do Universo Cinematográfico Marvel não era visto assim desde Homem de Ferro 2 mas para nossa sorte, sete filmes depois, temos aqui uma trilha de excelência, inundada com grandes clássicos dos anos 60 e 70, que se encaixam perfeitamente na trama do filme como parte do Awesome Mix Vol. 1, fita que a mãe de Quill dá a ele momentos antes de falecer e que não sai dos ouvidos do herói desde então.

Essa forte influência setentista se deve ao diretor James Gunn. Para elaborar a trilha sonora do filme, Gunn começou a ler as listas da Billboard dos maiores hits dos anos 70, baixando algumas centenas das que eram familiares e criando uma playlist com todas que se encaixariam com o tom que ele queria dar ao filme. Em entrevista, ele revelou que ouvia a playlist em suas caixas de som em casa e às vezes elas os inspirava a criar uma cena ao redor da música ou, em outros momentos, ele tinha cenas que precisavam de músicas e a playlist o ajudava a descobrir qual se encaixaria melhor em cada uma delas. Na verdade, muitas das músicas eram tocadas nos sets de gravação para, nas palavras de Gunn, “ajudar os atores e os operadores de câmeras a encontrar o ritmo perfeito para a cena”.

David Bowie, Raspberries, Blue Swede, Jackson 5 e tantos outros artistas são a cereja no bolo para que a aclamada direção de James Gunn transforme Guardiões da Galáxia em uma das grandes surpresas do Universo Cinematográfico Marvel, faturando quase 800 milhões de dólares e colocando o filme no top 3 de maiores bilheterias do MCU, atrás apenas de Os Vingadores e Homem de Ferro 3. Era assim dado um passo de sucesso para a expansão do universo cósmico da Marvel, para a continuidade da Saga do Infinito e para a franquia Guardiões da Galáxia, que viria a ganhar uma sequência de ainda mais sucesso anos depois.

Nós somos Groot!

A Estrada para o Ultimato continua amanhã com Vingadores: Era de Ultron.


Siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter YouTube.

Compartilhe