A Estrada para o Ultimato | Capítulo 3 – Homem de Ferro 2

Filme mantém o nível do antecessor e começa a expandir o Universo Cinematográfico Marvel

A Estrada para o Ultimato | Capítulo 3 – Homem de Ferro 2

Depois do sucesso estrondoso de Homem de Ferro, a Marvel Studios prontamente correu para juntar novamente as mesmas peças que fizeram a mágica acontecer. Ainda em 2008, Jon Favreau confirmou seu retorno para dirigir o longa assim como Robert Downey Jr. assinou contrato para o novo filme juntamente com os outros atores, exceto Terrence Howard, que havia interpretado o Coronel James Rhodes.

De acordo a Entertainment Weekly, Favreau não gostou muito de trabalhar com Howard e queria que seu personagem tivesse um papel menor na continuação, fazendo com que a Marvel propusesse um cachê menor para o ator no novo filme. Howard não aceitou e posteriormente, em 2013, declarou que Robert Downey Jr. “pegou o dinheiro que iria para ele e o empurrou para fora do filme”. No final das contas, Don Cheadle assumiu o papel não apenas em Homem de Ferro 2 mas em todas as aparições que o Coronel Rhodes viria a ter no Universo Cinematográfico Marvel.

Homem de Ferro 2 explora cinco diferentes perspectivas em relação a Tony Stark. A primeira, a de Tony para si mesmo. Cada vez mais ele valoriza o legado de seu pai, Howard Stark, e para continuar seu trabalho, luta contra o tempo para consertar o reator ARC em seu peito, que está consumindo o paládio muito rapidamente e aos poucos o envenenando. Como precaução, Tony decide nomear Pepper Potts como presidente das Indústrias Stark a partir de então.

A segunda perspectiva diz respeito ao governo dos Estados Unidos, que encara a tecnologia do Homem de Ferro como uma ameaça que precisa ser regulamentada para que os EUA não apenas tenham ciência do que o Homem de Ferro é capaz, como também utilizar essa tecnologia para construir armaduras de ponta para o Exército americano, ideia a qual Rhodes apoia mas Tony se opõe totalmente. No primeiro filme, Tony viu o quão destrutiva podia ser a combinação entre sua tecnologia e as intenções do governo e não queria repetir o erro. Essa aversão ao governo era tão grande por parte do personagem que ficou marcada em uma das frases mais icônicas do longa: “Eu privatizei a paz mundial.”

A terceira perspectiva é a do grande vilão Ivan Vanko (Mickey Rourke), filho do cientista Anton Vanko, que havia trabalhado com Howard Stark e acabou passando para seu filho muito do seu conhecimento sobre o reator ARC. Vendo seu pai o deixar e o rosto de Tony Stark em todos os noticiários, Ivan começa a trabalhar em seu próprio reator ARC para combatê-lo e provar ao mundo que o Homem de Ferro não é invencível.

A perspectiva do cientista bilionário Justin Hammer (Sam Rockwell), dono das Indústrias Hammer, concorrente das Indústrias Stark, é a de querer aproveitar a aversão de Tony ao programa de armaduras do Exército americano para criar sua própria linha e faturar em cima do governo a qualquer custo. Para isso, Hammer é capaz de tirar Ivan Vanko da prisão, após sua tentativa de assassinar Stark, para trabalhar junto a ele em novos modelos de armaduras.

E a última, porém não menos importante, perspectiva é a da SHIELD. Desde o primeiro Homem de Ferro, sabemos que Nick Fury está de olho (só um, no caso) em Tony Stark para liderar a Iniciativa Vingadores. Para observar melhor o comportamento do bilionário, Fury consegue colocar Natasha Romanoff, a Viúva Negra, infiltrada como assistente pessoal de Pepper Potts nas Indústrias Stark com o pseudônimo Natalie Rushman.

Novamente, a temática da guerra contra o terrorismo é trazida à tona. No primeiro filme, vimos que as Indústrias Stark eram financiadas para desenvolver armas de destruição em massa para os Estados Unidos até que Tony passa pela experiência na caverna e anuncia o fim de desenvolvimento de armas por parte das Indústrias Stark. Porém, a roda não para de girar. Se Stark não fornece tecnologia para o Exército americano, muitas outras empresas estão dispostas a fornecer.

Se por um lado, as motivações de Hammer são bastante claras, por outro Ivan segue apenas o estereótipo do vilão russo: maltrapilho, impulsionado por uma vingança que não carrega um significado forte o suficiente para fazer com que seu desdém a Stark seja compreendido, nem fazer com que o personagem seja visto como um anti-Stark, se esse era o objetivo do roteirista Justin Theroux.

Homem de Ferro 2 mistura elementos centrais de basicamente dois grandes arcos de revistas em quadrinhos do herói. Demon in a Bottle, arco lançado em 1979, trata do problema de Tony com o alcoolismo que, apesar de não ser aprofundado no filme, é nítido em cenas como a da briga de Tony e Rhodes durante festa na Mansão Stark.

Outro arco que inspirou o longa foi Armor Wars, lançado entre 1978 e 79. Nele, Tony descobre que o Espião-Mestre vendeu os projetos dos designs de suas armaduras para Justin Hammer, que os forneceu para diversos vilões de Stark. Porém, quando o Homem de Ferro confronta o Arraia, ele descobre que a armadura do Arraia não era baseada na tecnologia Stark e, por conta disso, o governo americano manda Tony desativar sua armadura de Homem de Ferro.

Se o rock pesado já havia se destacado em Homem de Ferro, nessa sequência os riffs e solos são quase um personagem no filme. Com uma trilha sonora composta majoritariamente por músicas do AC/DC, o ritmo nunca diminui e o tom aventuresco é presença garantida durante os três atos de Homem de Ferro 2, embalados ao som de obras icônicas como Shoot to Thrill e Highway to Hell, passando pelos mais recentes Thunderstruck e War Machine.

A conexão com o Universo Cinematográfico Marvel vai aqui além de Nick Fury e Viúva Negra. O legado de Howard Stark, mostrado inicialmente no filme, é posteriormente explorado em Capitão América: O Primeiro Vingador, Capitão América: Guerra Civil e até mesmo na série da Agente Carter.

Além disso, o Agente Coulson, que supervisiona Tony enquanto ele trabalha com a tecnologia que seu pai havia deixado sob a tutela da SHIELD, recebe um chamado urgente para ir ao Novo México. Na cena pós-créditos, vemos que lá no Novo México tem um pessoal se divertindo com um certo martelo que caiu do céu…

A Estrada para o Ultimato continua amanhã com Thor.

Leia mais sobre Marvel.


Siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter YouTube.

Compartilhe: