Crítica | Nasce Uma Estrela

Filme já está em cartaz nos cinemas de todo Brasil.

Crítica | Nasce Uma Estrela

Pra quem gosta de emoção, é um prato cheio

Pela quarta vez o longa, Nasce Uma Estrela, chega aos cinemas, e com o apelo de ter Lady Gaga, a vencedora do Grammy, Globo de Ouro (pela participação na série American Horror Story) e indicada também ao Oscar por melhor canção original em 2016, como protagonista e em seu primeiro papel para o cinema. Sendo dirigida pelo também estreante na direção, e par de Gaga na trama, Bradley Cooper, o filme nos atinge pela emoção, então se você é aquela pessoa que quando vai ao cinema, não esquece os lenços de papel, este filme é para você.

A história do filme nos mostra a jovem cantora Ally (Lady Gaga) que ascende ao estrelato enquanto seu parceiro Jackson Maine (Bradley Cooper), um renomado artista de longa carreira, cai no esquecimento por problemas com o álcool, isso acaba abalando o relacionamento dos dois e o longa nos leva pelas emoções desse casal juntamente com os altos e baixos da fama.

O chamado do filme para o emocional é muito grande, com uma história que já estamos acostumados a ver, a garota tímida que consegue crescer e que se envolve com um grande artista, este que está passando por problemas com o álcool, e o amor entre os dois não deixa um desistir do outro, sem falar as músicas que nos envolvem muito durante todo o filme. E por falar nisso, Bradley Cooper me surpreendeu bastante assumindo um papel de cantor, onde o mesmo está grandioso neste, uma atuação impecável, sem falar na direção do filme, que também não deixou a desejar em nada.

Resultado de imagem para nasce uma estrela

Divulgação/Nasce Uma Estrela

Antes de falar da atuação de Gaga, temos a presença de outros atores como Sam Elliott, que interpreta o irmão mais velho de Jackson, papel de Cooper, e apesar de um papel menor, Elliott nos entrega uma atuação bastante sincera, dentro daquilo que esperamos pela experiência do ator. Temos também a presença de Dave Chappelle, comediante bastante conhecido, que, apesar do pouco tempo em tela, seu personagem tem participação numa parte essencial da trama.

Lady Gaga já mostrou que sabe atuar quando participou de American Horror Story, atuação que lhe rendeu o Globo de Ouro, e apesar do cinema ser totalmente diferente da tv, Gaga não decepciona, apesar de não ter a experiência atuando ela consegue entrar na personagem duma forma que esquecemos um pouco da diva pop que estamos acostumados a ver, e acredito que isso era a proposta do filme. Ela e Cooper estão muito bem em tela e a química entre os dois é impressionante, possivelmente pela competência de Cooper na direção.

Imagem relacionada

Divulgação/Nasce Uma Estrela

E o que falar das músicas, simplesmente incríveis, as cenas filmadas em shows ao vivo são fantásticas e bem dirigidas, a movimentação das câmeras são muito boas, cada cena é bastante envolvente, fazendo com que o público se envolva ainda mais na história do casal protagonista. Com certeza veremos indicação ao Oscar de música original ano que vem. E arrisco a dizer que veremos Nasce Uma Estrela também em outras categorias, surpreendendo (ou não), muita gente.

Confesso que não assisti aos outros longas antes deste, mas é bom quando vemos dramas como este bem trabalhados na tela do cinema, que te envolvam na história do início ao fim e que façam você pensar um pouco, seja famoso ou não, de que há coisas mais importantes nas nossas vidas do que simplesmente a fama, afinal ela faz com que os outros nos conheçam, mas será que nós nos conhecemos?

Nota: 4,5/5 

Siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter YouTube.

Compartilhe: