Crítica | Corra!

Jordan Peele retoma a atenção do Oscar para o gênero de horror.

Crítica | Corra!

Quando filmes como “Corra!” são exaltados pela crítica, sempre há o receio de que a recepção do público não será compatível com a dos críticos. É só lembrar do caso de “A Bruxa”. Porém o que ambos os filmes possuem em comum, que os difere do resto do gênero, é a de que o terror fica em segundo plano para dar margem a uma mensagem de cunho social.

O filme narra a história de Chris, um jovem negro americano que está prestes a conhecer a família de sua amada Rose, no entanto ele teme a reação dos parentes dela quanto a cor da sua pele. Para surpresa de Chris, a família o recebe bem, mas tanto carinho com o casal parece esconder algo assustador. O tema parece batido, diversas obras debatem isso o tempo inteiro, mas o filme cria uma trama macabra por trás disso, nos fazendo embarcar no mistério junto com Chris, que é interpretado por Daniel Kaluuya, que está incrível no papel. Aliás, todo o resto do elenco é muito competente.

A direção é do Jordan Peele, um cara da TV que está engatinhando nos cinemas, mas já mostra muita competência. Embora seja de terror, Jordan mostra que tem qualidade em colocar bom humor no filme, sem o fazer parecer desnecessário. O roteiro redondo ajuda e muito, guardando muitas surpresas para o espectador. Este não será o filme mais perturbador ou assustador da sua vida, mas tem ótimas atuações, uma trama competente e é um filme de terror digno de um sábado a noite com os amigos.

Nota: 4/5

“Corra!” está concorrendo a 4 Oscars, incluindo: Melhor filme, Melhor Direção, Ator Principal e Roteiro Original.

Esse review foi retirado da nossa página no Instagram. Review publicado em 31 de maio de 2017.